Guest-post: Publicando o meu primeiro livro

30 de novembro de 2012

Julia Tabosa tem 21 anos e é estudante de Direito, além de ser uma amiga incrível e muito talentosa! Pedi para ela escrever um pouco aqui no blog sobre como foi publicar o seu primeiro livro, um livro infantil chamado "Pequenas Escolhas".

Foi ela mesma quem fez as ilustrações, com aquarela!
Um vez escutei que há três coisas na vida que todos deveriam fazer um dia: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. Enquanto as duas primeiras vão esperar um pouco para serem alcançadas – especialmente a segunda –, tenho o prazer de dizer que consegui a terceira. E é por isso que Carol, uma amiga muito paciente, convidou-me para falar sobre como foi a empreitada de escrever e publicar um livro infantil.

Antes de qualquer coisa, preciso ser sincera. No começo, meu maior intuito ao escrever um livro seria o de ganhar uma graninha. Shame on me, eu sei. Mas lá estava eu, começando a faculdade, sem estágio, vivendo de uma mesada curta... Quando, por acaso, conversando com uma amiga, Marcelle, descubro que ela havia publicado um livro infantil. Obviamente, fiquei curiosa e perguntei mais. Ela me passou o e-mail de uma editora e disse que era só enviar o texto para aquele endereço eletrônico. A única ressalva era que essa editora em especial preferia que os livros infantis contivessem algum tipo de ‘moral’ para as crianças.

Pois bem, eu sempre gostei de ler, especialmente livros infanto-juvenis – confesso! Sou do tipo que, numa sexta feira à noite, fica deitada na cama no aconchego dos meus lençóis e na companhia de um bom livro sem o menor arrependimento! E, nos últimos anos, havia dado também a escrever algumas coisinhas minhas, especialmente fanfics, então, porque não escrever uma história para crianças?

A ideia de escrever um livro, então, contagiou-me. Passei alguns dias remoendo sobre o que seria minha história. O enredo demorou um pouco para chegar, pois eu não poderia simplesmente contar qualquer coisa. Eu tinha que agradar, ao mesmo tempo, a editora e o público infantil – além de mim mesma, claro. Em resumo, eu tinha que escrever algo interessante ao ponto de fisgar as crianças cibernéticas de hoje em dia e também passar alguma mensagem construtiva para elas.

O que funcionou para mim foi relembrar dos meus tempos de criança. O que eu mais adorava em uma historinha? Lembrei logo que adorava ler aqueles gibis em que o leitor precisa escolher o caminho que quer seguir na história. Sabe aquelas histórias que te mandam ir para a página X se quiser seguir com fulano ou ir para a página Y se quiser seguir com sicrano? Pronto. Eu sempre achei e-mo-ci-o-nan-te saber que o final da história “dependia” da minha escolha. Foi aí que eu defini que precisava desse recurso na minha história.

A partir daí, uma coisa levou à outra e o texto de Pequenas Escolhas ficou pronto. Depois, pedi a uma amiga, Mariana, para que revisasse o texto. Conselho: depois que você lê um texto vinte vezes, é muito fácil deixar passar um errinho ou outro. Peça para alguém que não tenha lido o texto antes para dar uma olhada por você. Você vai se abismar com o que deixou passar!

Com o texto pronto, eu pensei: porque não fazer as ilustrações? Modéstia à parte, eu sei desenhar e quem melhor do que eu para ilustrar exatamente aquilo que eu imaginei para o livro? Pus-me a fazer as ilustrações em aquarela. Maldita hora... Pasmem, as ilustrações foram as mais trabalhosas – meses, para ser exata. Sabe quando você não consegue transmitir para o papel tudo aquilo que você imaginou? Mas, enfim, depois de um árduo trabalho – e várias folhas descartadas -, concluí essa etapa e confesso que fiquei bem satisfeita com o resultado.

Terminadas essas duas fases, chegou o momento de enviar para o e-mail da editora. Logo de cara, fiquei super empolgada e resolvi enviar o texto já embutido nas ilustrações digitalizadas. De cara, pediram que eu encaminhasse de novo o texto, só que em separado das ilustrações. Tudo bem, tudo bem, foi muita pretensão minha achar que também poderia fazer a diagramação.

Enviados novamente o texto e as ilustrações, preenchi um formulário deles lá e... esperei. E esperei. E esperei. No começo, ansiosa, eu ligava para a editora quase toda semana para saber se o livro já havia sido avaliado. Sinceramente, não sei como me aguentaram. Depois, percebi que esse processo de análise era lento mesmo e passei a ligar apenas uma vez por mês. Mas sempre dava algum sinal de vida!

Após um ano, já sem esperanças - e estabelecida uma forte ligação com a música Paperback Writer, dos Beatles -, recebo um e-mail inesperado. Meu livro havia sido analisado e aprovado! Estava no estágio nesse momento e tive que conter minha dancinha da vitória, mas por dentro eu era só alegria.

A partir daí veio a fase contratual. Por não ter muita graça, vou resumir: Vendi os meus direitos autorais sobre o meu texto e as ilustrações, ou seja, eles não me pertencem mais! O preço não foi muito alto, mas, para alguém que já nem tinha mais esperanças de ter o livro analisado, era como se o dinheiro estivesse caindo dos céus!

Dinheiro no bolso, sorriso no rosto, veio a fase de esperar pela publicação. Do momento em que compraram meus direitos autorais até a publicação do livro, levou quase um ano. Mais uma vez, eu já nem lembrava que havia vendido um livro, quando, de repente, chegaram duas caixas enormes com 200 exemplares de Pequenas Escolhas na minha casa – isso fazia parte do contrato.

Nossa, nem consigo descrever a emoção que foi pegar um exemplar, dar aquela fungada – acreditem, eu não sou a única viciada em cheirar livros novos –, folhear as páginas e escutar o “crec” das folhas desgrudando umas das outas... Ver e ler aquilo tudo que eu havia imaginado, a minha historinha, ali, num livro! Um livro! Escrito por mim! Se eu conseguisse dar uma estrelinha, teria dado naquele momento de tanta felicidade!

Bem, é isso. Esse foi um resumo da minha saga!

Pequenas Escolhas, de Julia Tabosa
Editora Prazer de Ler

"Os pais de Cadu e Deco viajaram e eles ficaram com a vovó Nena, que tinha muitas recomendações para cuidar dos netos. Mas na vida todos nós fazemos pequenas escolhas e estas têm grandes efeitos. Aprenda com este livro as diferenças que as escolhas podem fazer em nossas vidas."

Para adquirir um exemplar, entre em contrato com a autora através do e-mail julia_tabosa{arroba}hotmail.com .

5 comentários

  1. Que lindo :') Não consigo nem imaginar a emoção de abrir um livro seu! Que seja o primeiro de muitos best-sellers futuros!

    ResponderExcluir
  2. Lindo o Post! Parabéns, Júlia!

    ResponderExcluir
  3. Julia, li seu livro e amei! Siga em frente que você leva jeito para escrever.

    ResponderExcluir

© Desopilar. Design by FCD.