Experiência de compra na Better World Books + O Grande Livro da Costura

17 de setembro de 2015


Foi lá por volta de quando eu fiz um curso básico no Instituto da Costura que ouvi falar pela primeira vez d'O Grande Livro da Costura. Publicado originalmente nos anos 1970 pela Revista Seleções, nos Estados Unidos, ele é considerado O manual para quem quer aprender a costurar. Desde então, eu estava à procura deste livro, mas só conseguia encontrá-lo na Estante Virtual. Por uns R$ 400,00 reais. Usado.

Até que, recentemente, estava lendo o Super Ziper e encontrei informações muito valiosas. A primeira foi que uma edição brasileira do livro tinha sido escaneada e estava disponível para download (~ mas você não leu isso aqui~). Porém, eu não queria uma versão digital, e sim poder pegar com as mãos, folhear, porque ainda prefiro comprar livros de referência em formato de papel.

A segunda informação foi que a edição brasileira, que estava esgotada há anos, havia sido relançada pela editora com outro título, A Bíblia da Costura, mas com menos conteúdo que a edição original. Também não fiquei satisfeita, queria a versão completa. Lendo os comentários, encontrei a terceira informação valiosa: alguém recomendando o Better World Books para comprar uma versão usada, em inglês.

Depois de pesquisar bastante, decidi pela edição de 1997. Antes dela, o livro já está um pouco ultrapassado. A partir das edições seguintes, ele está mais enxuto, com menos conteúdo (sério, uma diferença de quase 200 páginas). Comprei uma edição de U$ 15 dólares, a mais barata disponível, e tentei me esquecer da compra, porque não adianta, os correios brasileiros geralmente demoram para entregar aqui em casa. Mais ou menos um mês depois, já estava em minhas mãos, lindinho e cheirando à baunilha.

Comprando na Better World Books


A Better World Books é uma livraria que vende livros seminovos e usados, e que financia projetos de alfabetização nos EUA e no mundo. Cada livro comprado no site é correspondido com uma doação de outro livro para uma pessoa carente e uma porcentagem do lucros da livraria também é doada.

Assim, eles recebem doações de livros de universidades e de lojas de segunda mão e doam parte deles para organizações sem fins lucrativos parceiras, ou vendem na internet ou reciclam as cópias que não podem mais ser manuseadas.

Todos os livros estão disponíveis com frete grátis, porém sem rastreio, e vêm numa embalagem ecológica, por isso nada de plástico bolha protetor. Mesmo assim, não encontrei nenhum defeito de amassado, e apesar de ter comprado uma edição de quase 20 anos, o livro está praticamente novo, apenas com os sinais naturais de envelhecimento (ex.: as páginas mais amareladas).

A parte mais importante na hora da compra é ler com atenção a descrição do estado em que se encontra o livro. No meu caso, o site informava que vinha na condição Used Acceptable, ou seja, com um "uso aceitável". Também informava que era um "ex-livro de biblioteca, com desgaste nítido, e talvez consideráveis marcações no interior". Não sei se foi sorte de primeira viagem, mas ele realmente veio intacto, sem carimbos ou aqueles plásticos que são colados para proteger livros, perfeitinho!

O pedido foi feito no dia 30 de julho e o pagamento foi confirmado logo no mesmo dia. No dia seguinte, já havia sido postado e ele chegou aqui em casa no dia 3 de setembro. Ou seja, no 24º dia útil, sendo que eles dão um prazo de 10 a 21 dias úteis, então achei bem razoável.

Pelo que li, o serviço de atendimento ao cliente é muito bom e se o livro não vier como descrito, você pode pedir reembolso. Porém, não sei como funciona se o livro for extraviado, já que não tem código de rastreio. Fiquei muito feliz com a minha compra e pretendo sempre dar uma olhada lá, mas é preciso ter em mente que são livros usados e que podem vir com marcas, riscos de lápis ou canetas, carimbos e outras condições de uso. Acho uma boa recomendação para quem gosta de livros usados e de uma boa barganha.

Agora vou deixar para falar mais sobre O Grande Livro da Costura quando tiver lido mais pouquinho do livro e, quem sabe, mostrar aqui os meus projetos de costura!

Sobre a faculdade de Design de Moda do Senac/PE

13 de setembro de 2015


Como falei anteriormente, comecei nesse semestre a faculdade de Design de Moda no SENAC/PE. Quando estava pesquisando sobre o curso, acabei não encontrando muitas informações, então resolvi responder aqui as dúvidas que tinha antes de começar e outras que forem surgindo. Espero que esse seja o primeiro de uma série de postagens, com minhas impressões sobre as disciplinas e os projetos de cada semestre.

O curso

O curso se chama Curso Superior de Tecnologia em Design de Moda, ou seja, uma graduação de nível superior que fornece um diploma de tecnólogo (e não técnico!). Assim, o diploma permite fazer depois uma pós-graduação como as que o próprio Senac/PE oferece (em Negócios da Moda, Modelagem e Criação, Produção de Moda e Styling) e em outras instituições, é claro! E no final do terceiro semestre você já ganha uma Qualificação Profissional de Nível Tecnológico em Modelagem.

O vestibular

Você pode ingressar através de um processo seletivo que ocorre duas vezes ao ano. A prova é agendada, com questões de Matemática, Conhecimentos Gerais, Língua Portuguesa e Redação, e tem duração de 4 horas. Você também pode usar a nota obtida na prova objetiva do ENEM, desde que não seja inferior a 450 pontos (e foi assim que eu ingressei, o processo foi bem tranquilo). Se já for formado, tem como entrar como portador de diploma, desde que haja vagas remanescentes. Recomendo dar uma olhada nessa página aqui para encontrar informações sobre data de inscrição, manual do aluno e documentos exigidos. Ah, são 35 vagas por turno, com turmas à tarde ou à noite.

A duração

A duração do curso é de 5 semestres, com aulas de segunda a sexta, então nada de aulas aos sábados de manhã (quase chorei de alegria quando soube!). Você pode conferir as disciplinas ofertadas na grade curricular aqui. São 1980h de disciplinas obrigatórias no total, mais 80h de atividades complementares, que podem ser descontadas com participação em eventos, visitas técnicas, estágios e trabalhos na área, cursos relacionados (online ou presenciais), publicação de artigos científicos, entre várias outras coisas.

Os projetos

Cada semestre possui um projeto temático que engloba todas as disciplinas do módulo. Por exemplo, nesse primeiro semestre o tema é Moda Inclusiva. Temos que criar uma peça de roupa que possa ser usada por todos e que também atenda às necessidades de uma pessoa com uma deficiência escolhida. Além disso, escolhemos um dos períodos históricos estudados na disciplina de História e Estética da Indumentária e então a peça é desenvolvida inspirada nas características mais marcantes dessa época. Os croquis do projeto são avaliados na disciplina de Desenho de Moda, a aplicabilidade na disciplina de Ergonomia aplicada ao Vestuário, a modelagem na disciplina de Modelagem Tridimensional, e o trabalho com os tecidos escolhidos na disciplina de Tecnologia Têxtil. Os temas dos projetos dos semestres seguintes serão, respectivamente: Sustentabilidade, Tribos Urbanas Tecnologia, e o último será um tema livre.

As avaliações

Além desse projeto, cada disciplina tem suas avaliações individuais. A maioria são práticas, feito as de Modelagem Tridimensional, onde uma das avaliações será montar uma bata com gola e manga usando as técnicas de moulage que aprendemos em sala, mas algumas disciplinas também têm provas escritas. O desempenho é avaliado através do sistema de conceitos, que varia de Excelente a Insuficiente.

Campo de atuação

Uma das coisas que a coordenadora, Danielle Simões-Borgiani, disse logo no primeiro dia de aula é que o curso não forma apenas estilistas. Você sai preparado para modelar, costurar, estampar, criar e coordenar projetos e pode atuar em diversas áreas como produção de moda, desenvolvimento de estampas, desenvolvimento de bolsas e sapatos, como modelista, como supervisor de visual merchandising, com vitrinismo, com empresas de consultoria e assessoria na área de moda, em indústrias de confecção de vestuário, divulgação de moda, ateliês de costura, entre outras.

O que ficou claro é que a área é bastante concorrida, e muitas oportunidades ainda são centradas no Rio de Janeiro ou em São Paulo, por serem os grandes centros de moda do país, mas acredito que Pernambuco também tem destaque! Já tenho uma pequena noção da área em que quero trabalhar, mas talvez isso mude completamente daqui para o fim do curso.

Mas eu não sei costurar/desenhar! E agora?

As minhas maiores preocupações antes de começar o curso eram: (a) eu não sei desenhar, e (b) meus conhecimentos de corte e costura são muito simples! Logo após a primeira aula de Desenho de Moda já fiquei mais calma, a professora Karina Fernandes nos assegurou que vamos aprender as técnicas básicas, do comecinho. Não que uma pessoa que só sabe desenhar bonecos palito vá sair do curso como um daqueles incríveis ilustradores de moda que você segue no Instagram, mas só em pouco tempo de curso os meus desenhos já melhoraram muito, só é preciso praticar, praticar e praticar! Também teremos aula de costura, mas apenas a partir do segundo semestre. Podemos também ter acesso às máquinas de costura industrial num dos horários disponíveis e praticar com ajuda da monitora do laboratório.


Enfim, é basicamente isso por enquanto. Estou muito empolgada e gostando de tudo até agora. Nas próximas postagens quero falar sobre cada disciplina desse primeiro semestre, sobre os livros recomendados (e os que eu já li emprestados da biblioteca da faculdade) e também dos projetos e marcas desenvolvidos por ex-alunos do curso. Espero que tenham gostado!
Links úteis
Página do curso no site do Senac/PE: mais informações sobre o curso, telefone e e-mail para contato, mensalidade etc.
Vitrine Fashion: blog de moda com colaboração de alunos, ex-alunos e professores da faculdade.
Guia do Estudante - Profissões: sobre diversos cursos superiores de moda no Brasil.

De volta

3 de setembro de 2015


E aí que depois de ler este post no So Contagious, deu uma vontade danada de voltar a escrever por aqui. Essa vontade já existia, mas eu sempre encontrava uma desculpa esfarrapada, com variações de "nada que eu falar vai ser relevante", ou "eu não vou acrescentar nada ao mundo" e a clássica: "ninguém vai ler mesmo". Aí a Anna Vitória (cujo blog eu leio há anos e indico fortemente) fez surgir essa luz no fim do túnel e eu entendi, finalmente!, que eu não preciso de motivos maiores para escrever o que eu quiser além do simples fato de querer escrever e pronto.

Então vamos para uma breve recapitulação do que eu fiz durante esses meses todos sem postar:

- Err...

- Bem... 

- Vejamos... 

Agora me deu um branco e não lembro de nada que tenha acontecido. Talvez porque nada realmente de importante tenha acontecido... Até que um ano que tinha começado bem ruim, e tinha pinta de que ia continuar assim, mudou completamente em julho. Num dia em que recebi uma ligação do além da coordenação do Senac perguntando se tinha sido eu que tinha feito uma inscrição num curso em maio. Pois é, esse primeiro semestre foi tão esquecível que eu já ia responder que não, era engano, moça, eu não me inscrevi em nad... Pera, pera, pera só um instantinho. Fiz uma inscrição sim, agora me lembro!

E foi aí que uma semana depois eu estava começando a faculdade de Design de Moda.

- Wait, what?!

Decidi que não precisava mais ser concursada, com a vida toda resolvida, para finalmente seguir o caminho que eu queria desde o princípio, mas que não tinha coragem, por ouvir tantas vezes que era algo sem futuro, que não dava dinheiro e que eu devia procurar algo mais estável. Tomei uma decisão pensando naquilo que eu queria, e não no que eu achava que os outros queriam que eu fizesse. E sim, continuo sentindo um medo e uma ansiedade constantes, continuo sem saber como vai ser o meu futuro (e quem sabe?), se vou sobreviver a 2015, e mil e uma outras dúvidas começaram a surgir. Mas agora sinto como se tivesse, enfim, escolhido trilhar o caminho certo para mim. Pelo cosmos, isso foi meloso, mas se eu não posso escrever coisas piegas aqui, onde mais escreveria?

Não vou dizer que irei postar com frequência, nem de que vai valer a pena entrar aqui. Mas vai ter post sobre moda, desenho, tecidos, e sobre feminismo e minimalismo, e sobre livros (claro!) e sobre tudo um pouco, relevante ou não.
© Desopilar. Design by FCD.